Abrangência do Senalba Ponta Grossa: Intermunicipal; Base Territorial: *Paraná*: António Olinto, Arapoti, Carambeí, Castro, Cruz Machado, Curiúva, Fernandes Pinheiro, Guamiranga, Imbaú, Imbituva, Ipiranga, Irati, Ivaí, Jaguariaíva, Mallet, Palmeira, Paula Freitas, Paulo Frontin, Piraí do Sul, Ponta Grossa, Porto Amazonas, Prudentópolis, Rebouças, Reserva, Rio Azul, São João do Triunfo, São Mateus do Sul, Sengés, Teixeira Soares, Telêmaco Borba, Tibagi, União da Vitória e Ventania.



Atenção

Informamos que a partir de 01/01/2018 as homologaçðes serão cobradas.

O valor será de R$ 50,00 reais pago pela empresa por empregado desligado em qualquer modalidade.

Notícias

Mudança de comportamento do cidadão é o que pode melhorar o trânsito Posted on 25 Sep 2014 by Fabiana
Especialistas discutiram o assunto durante o II Open Forum Trânsito e Transformação realizado pelo Sesi, Instituto Renault e Ecovia Em busca de uma nova atitude no trânsito: o jornalista Ricardo Boechat (à esq.) mediou a conversa entre os palestrantes (Fotos: Mauro Frasson) Como a mobilidade urbana segura pode reduzir prejuízos e acidentes e o papel fundamental de mudança dos cidadãos, do pedestre ao motorista, pode melhorar o dia a dia no trânsito das cidades foram discutidos no II Open Forum Trânsito e Transformação, realizado nesta quinta-feira (18), em Curitiba. O debate, realizado na Semana Nacional do Trânsito, foi organizado pelo Sesi no Paraná, por meio do Centro de Formação de Atores Locais (Cifal), em parceria com a concessionária Ecovia e o Instituto Renault. “A missão do Sesi é melhorar a qualidade de vida das pessoas, e a mobilidade urbana está diretamente ligada a isso, como por exemplo no impacto do estresse causado pelo trânsito que pode afetar a produtividade do trabalhador na indústria”, disse João Arthur Mohr, assessor da Fiep, que representou o presidente Edson Campagnolo, abrindo o evento. Alain Tissier, vice-presidente da Renault do Brasil, lembrou que ainda é possível mudar essa realidade das mortes no trânsito e que todos têm o seu papel nessa mudança, o motorista, o pedestre, o cliclista ou o motoqueiro. “São 18 horas para se fazer um carro, 18 meses para construir uma rodovia, mas 18 anos para formar um cidadão motorista”, disse. Para o diretor da Ecovia, Marcelo Belão, é necessário integrar todos os atores da sociedade, comunidade e motoristas, para conversar sobre a importância da segurança nas estradas. “É fundamental termos uma estrutura preparada para receber esse fluxo de carros e pessoas e uma de nossas missões é a educação no trânsito”, destacou. Mudança de todos O antropólogo Roberto DaMatta falou da perspectiva antropológica sobre o comportamento do brasileiro no trânsito Durante o Forum, foi realizado o painel com o tema “Mudança de Cultura e Comportamento” que reuniu três especialistas no assunto. O antropólogo e autor do livro “Fé em Deus e Pé na Tábua: como e por que o trânsito enlouquece o Brasil”, Roberto DaMatta, falou da perspectiva antropológica sobre o comportamento do brasileiro no trânsito. “O problema no Brasil é a falta de obediência às regras e o comportamento do brasileiro no trânsito. É importante conseguirmos nos libertar da pressa e dos riscos que enfrentamos no dia a dia”, alertou. O espanhol José María Sánchez Albiñana, vice -presidente da TRAFPOL – IRSA - International Road Safety Academy – Espanha (Academia internacional de segurança rodoviária em português) e superintendente da Polícia e Mobilidade de Toledo, cidade espanhola, falou dos aspectos do tema tratado a partir da ótica e realidade europeias. Albiñana trouxe dados que mostram que entre os anos 2000 e 2010, 54% dos acidentes foram reduzidos em Toledo por conta da mudança de comportamento dos espanhóis. “O principal responsável pelos acidentes e pelo trânsito são as pessoas e pelas atitudes inconsequentes, às vezes, de cada um de nós”, comentou. Cheila Marina de Lima, consultora do Ministério da Saúde e Integrante da Comissão Nacional do Projeto Vida no Trânsito, falou sobre as iniciativas ligadas ao programa nacional coordenado pelo Ministério da Saúde e sobre o número de mortes no trânsito no Brasil. “Precisamos da atuação conjunta dos governos federal, estadual e municipal para reverter esses indicadores e subsidiar os gestores no fortalecimento de políticas de prevenção de lesões e mortes no trânsito”, afirmou. O debate teve como moderador o jornalista Ricardo Boechat que defendeu penas mais severas para crimes no trânsito e citou a falta de ações voltadas para esse assunto nos programas de governo dos candidatos à presidência da República. “O número de mortos não é aceitável e não vimos nenhum dos candidatos mencionarem a questão da segurança e mobilidade no trânsito em seus planos de governo”, criticou. Cenário crítico A América Latina e o Caribe (ALC) têm as maiores taxas de mortes em consequência de acidentes de trânsito per capita no mundo, segundo estatísticas do Banco Mundial. Cerca 122 mil pessoas morrem por ano, custando à região US$18,9 bilhões, consumindo o equivalente a 1,5% do PIB. Em Curitiba, de acordo com a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran), 23.772 acidentes de trânsito aconteceram em 2010, com 8 mil feridos e 156 mortos. Segundo a Organização Mundial da Saúde, acidentes de trânsito são a primeira causa de mortalidade para pessoas de 15 a 35 anos de idade, a ponto de representar 50% de mortes nos países desenvolvidos. Cerca de 3 mil vidas são perdidas diariamente devido a acidentes de trânsito, chegando a 1,3 milhões de mortes por ano. Além disso, também ocorrem anualmente cerca de 50 milhões de lesões físicas que resultam em deficiência parcial ou total, o que significa que a cada seis segundos alguém morre ou é ferido em um acidente de trânsito. Fonte: http://www.agenciafiep.com.br/
  0 Comentários
 
Name: Remember me
E-mail: (optional)
Smile:smile wink wassat tongue laughing sad angry crying 
Captcha
CAPTCHA, click to refresh
Powered by CuteNews

Contate-nos

Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais Recreativas de Assistência Social de Orientação e Formação Profissional de Ponta Grossa
Rua Professor Bruening, 120
Ponta Grossa, PR 84020-160
F:(42) 3222-7468 / FAX: (42) 3223-7207
E: senalbapg@gmail.com.br E: senalba@senalbapg.com.br

Fale Conosco »



UniCesumar

1ª mensalidade: 10% (Pontualidade) +20% (Comercial)! A partir da 2ª mensalidade entra o desconto pelo convênio firmado: 10% (Pontualidade) +10% (Convênio)


Sede Centro

Estamos localizados na Rua Professor Bruening, 120 em Ponta Grossa - PR.
Agende seu Exame Demissional e Admissional pelo Telefone: (42) 3222-7468, Exames todas Terças / Quartas e Quintas-feiras À  partir das 15h30.